Pregação de Outono

folhas do outonoPregação de Outono


Sentado à sombra da árvore,
Bíblia aberta entre as mãos.
Uma certa paz no coração.

Tive uma certa compaixão,
De folhas secas pelo chão...
Outrora, purificava o ar...
Agora, pelo vento a vagar.

Esquecida já sem vida, triste sina!
Jogada pelo vento, sem qualquer gratidão...
É só dor e esquecimento.

Veio a chuva, com ela, a enxurrada,
Folha esquecida ficou soterrada...
Sem glória nem fama,
Em meio a lama.

Penso que merecia coisa melhor,
Pelo bem que fizeste ao seu redor.
Mas não foi assim...
Que triste fim!

Retornei na primavera,
Bíblia aberta entre as mãos,
No peito, compaixão e pena,
Da folha em sua morte serena...

No lugar onde a folha jazia...
Dezenas de mudas surgiam,
Com a mão cavei a terra macia...
Adubada com folhas em decomposição....

A folha mostrou-me o caminho,
Que leva a perfeição...
Ser capaz de dar a vida,
Pela vida de um irmão.

A folha morta, lembrou-me o Cristo...
Crucificado em grande abandono...
Então agradeci a irmã folha-seca...
Pela pregação de outono.